O novo padrão de placas Mercosul foi inspirado em um modelo já usado em diversos países, especialmente pelos integrantes da União Europeia. A estimativa é de que cerca de 110 milhões de veículos distribuídos por cinco países pertencentes ao bloco – Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela - passem a fazer uso do novo modelo.

Essa mudança trouxe consigo uma série de dúvidas, por exemplo, qual a finalidade, o que muda ou quando passarão a ser obrigatórias essas placas.

Sendo assim, para ajudá-lo a entender melhor esse assunto preparamos este artigo. Continue a leitura e fique por dentro desse tema importante para todos os motoristas.

Novo padrão de placas Mercosul

Esse novo modelo de placas tem como objetivo promover a padronização dos veículos dos países que são membros do bloco Mercosul, seguindo o exemplo adotado na Europa. A novidade já é aplicada no Uruguai, desde o ano de 2015, e na Argentina, desde 2016.

Por aqui, depois de uma série de adiamentos, a placa Mercosul começou a ser usada em 2018. Entretanto, a maioria dos estados só começará a implantar o padrão em junho de 2019. 

Na verdade, até o momento apenas o Rio de Janeiro e a Bahia já estão trabalhando com o novo modelo. Isso acontece porque essa implantação é de responsabilidade de cada estado e não do Governo Federal.

Outro detalhe interessante sobre essas novas placas é que elas permitem uma quantidade bem maior de combinações graças à sequência de identificação. Até agora, as placas usadas no Brasil adotam o padrão de três letras e quatro números. 

Por sua vez, as novas seguem o padrão de quatro letras e três números. Nesse caso, não haverá nada fixo. Porém, apenas o último caractere é que não poderá ser alterado para que não haja problemas e complicações nos rodízios municipais.

QR Code, chip, marca d’agua e ondas sinusoidais são alguns dos recursos tecnológicos embarcados nessa novidade, tudo visando à segurança e à praticidade para os motoristas. Um dos principais motivos dos investimentos em tecnologia é dificultar o máximo possível as falsificações e clonagem de placas.

O novo padrão de placas é obrigatório?

Talvez, esse seja um dos pontos que mais provoca dúvidas nos condutores. Sobre isso, o fato é que até o ano de 2023 as placas Mercosul não serão obrigatórias, o que deixa de lado o que está na Resolução número 729/2018.

Segundo informa o Ministério das Cidades, a adoção do novo padrão será de caráter imediato em situações bem específicas, como o carro ser um veículo novo ou aqueles que passarão por transferência de domicilio, propriedade ou mudança de categoria. Além disso, aqueles motoristas que desejarem também poderão fazer a solicitação e trocar a placa.

No mais, é importante ressaltar que ao adotar o novo padrão de placa Mercosul, o carro poderá permanecer com a nova placa mesmo se mudar de município ou de propriedade. Isso é possível porque a novidade não traz sinais de identificação do estado e da cidade, como acontece no modelo atual.

As novas placas padrão Mercosulcustam entre R$180 e R$250 o par, mas a tendência é de que os preços caiam com à medida que ela estiver sendo adotada.